Centro Médico de Ribeirão Preto

COLETIVA DE IMPRENSA - PRIMEIRA MORTE POR CORONAVÍRUS EM RIBEIRÃO PRETO


Primeiro óbito por COVID-19 é registrado em Ribeirão Preto Paciente de 36 anos de idade, com comorbidades, faleceu na madrugada desta quinta-feira, 26 de março, no Hospital das Clínicas
 
Em coletiva de imprensa no início da tarde desta quinta-feira, 26 de março, a prefeitura de Ribeirão Preto anunciou a primeira morte pelo novo coronavírus, COVID-19, na cidade. Um homem de 36 anos de idade, que apresentava comorbidades e já vinha sendo atendido pelo setor de Hematologia do Hospital das Clínicas, faleceu durante a madrugada, no HC. O paciente, morador de Ribeirão Preto, era tratado de mieloma múltiplo, neoplasia óssea e insuficiência renal. Seu caso foi notificado ao serviço de vigilância epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde no dia 23 de março e, testado positivo para o coronavírus, aguardava confirmação por contraprova. “O mundo, no momento em que concedemos essa entrevista, atinge 500 mil pessoas contaminadas, 22.169 mortes, e o Brasil, 2.567 pessoas contaminadas e 61 mortes. Em Ribeirão Preto, quatro casos confirmados e mais quatro aguardando contraprova, portanto, oito contaminados e a primeira morte”, informou o prefeito Duarte Nogueira. Após o anúncio do primeiro óbito em Ribeirão Preto, o secretário da Saúde, Dr. Sandro Scarpelini, reafirmou o compromisso das autoridades municipais com a transparência nas informações à população. “Nosso compromisso é o de transmitir confiança a todos e combater as fake news. Infelizmente, nesta noite, um paciente evoluiu para o óbito, e embora tivesse apenas 36 anos, apresentava três doenças muito graves. Com as medidas adotadas em Ribeirão Preto pela Secretaria da Saúde, Hospital das Clínicas, hospitais privados e pela Regional de Saúde, estamos tendo muito resultado nas nossas unidades, até pelo baixo afluxo de pacientes com suspeita de COVID19”. Scarpelini ainda ressaltou a importância da manutenção das medidas de isolamento social adotadas no município. “A conduta continua sendo ficar em casa, manter a cidade com essa quantidade de mobilização, e se possível aumentar um pouco mais, para que a gente consiga passar essa fase, que eu tenho certeza que vamos conseguir passar, sem grandes alterações e sem grandes perdas”, orientou. Também participaram da coletiva de imprensa o superintendente do Hospital das Clínicas, Dr. Benedito Maciel, e o diretor de Vigilância de Saúde do HC, Dr. Antônio Pazin Filho.