Centro Médico de Ribeirão Preto

Curados da COVID-19 - Secretaria da Saúde diz que não é possível apontar número


   A Prefeitura de Ribeirão Preto vem divulgando, diariamente, um boletim de casos confirmados, suspeitos e com as mortes, desde o início da pandemia da COVID-19.
De acordo com a Secretaria da Saúde de Ribeirão Preto, é muito difícil ter um levantamento preciso sobre o número de curados. A maneira mais fácil de apontar o número de curados, porém de forma mais genérica, é subtrair as mortes do número de casos confirmados.
   Como exemplo, o boletim da segunda-feira, dia11,  registrou 370 casos confirmados e 10 mortes. Ou seja, de forma genérica, são 360 curados.


   Mas, a Secretaria Municipal da Saúde explica que a testagem para a covid-19 é feita apenas em pacientes sintomáticos, o que equivale dizer que o número de curados é muito maior que 360. Uma pesquisa feita por profissionais do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, apontou que o coronavírus já teria infectado mais de 8 mil pessoas na cidade.


Segue a nota completa da Secretaria da Saúde:

 

   “A Secretaria Municipal da Saúde informa que há uma diferença entre um paciente que recebeu alta e um paciente que não possuí mais o vírus no organismo. Mesmo os pacientes que saíram da internação e estão em casa, continuam em quarentena por mais 14 dias.
O que é considerado um paciente curado? É aquele que não tem mais o vírus? Então, seria necessário ficar testando a pessoa até o vírus desaparecer.
Informa ainda que são realizados testes em hospitais públicos, em hospitais privados e em clínicas, às vezes, a pessoa testa positivo, mas vai para casa. A orientação do Ministério da Saúde é que sejam testados apenas pacientes que precisam de internação.
   Sandro Scarpelini, secretário municipal da Saúde,  cita como exemplo uma fala do secretário Nacional de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson Oliveira: "É impossível termos um número preciso de cura, porque cura é quem não evoluiu para o óbito. Se eu peguei coronavírus e não evolui para o óbito, evolui para a cura, porque esta não é uma doença crônica, ela é uma doença aguda. O número de curados é imensamente maior do que o número de pessoas que evoluem para casos graves, não tenham dúvida disso".
A fala do secretário nacional tem respaldo no estudo feito pelo Hospital das Clínicas em parceria com a Prefeitura de Ribeirão Preto nos dias 1, 2 e 3 de maio. Os pesquisadores sortearam 709 residências em todo município para a realização do experimento, quando foi colhida a secreção nasal, que constatava a existência do vírus no momento, e realizado exame de sangue para a amostragem de anticorpos.
    Das 709 pessoas testadas, 11 testaram positivo. Sendo 10 pelo exame de sangue, ou seja, já haviam contraído a doença e se curado, e uma pessoa pelo exame de secreção nasal. Nesse último caso, toda a família foi orientada a permanecer em isolamento social e o paciente segue em observação.
    De acordo com o secretário municipal da Saúde, esTas 10 pessoas do teste já haviam se curado e nem soubemos que elas ficaram doentes. E dessas 8 mil que projetamos, nós diagnosticamos apenas 300. Portanto, é um número (de curados) muito difícil de se conseguir. (com informações do Cidade On)