Centro Médico de Ribeirão Preto

Dr. Elsimar Coutinho, médico cientista, morre aos 90 anos após complicações da COVID-19


    O médico  Dr. Elsimar Metzker Coutinho, de 90 anos, que estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, morreu nesta segunda-feira (17). Em 20 de julho, ele foi internado no Hospital Aliança, em Salvador, e transferido para a capital paulista no dia 29. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do médico.
   Dr. Elsimar Coutinho foi internado no dia 20 de julho, no Hospital Aliança, em Salvador, após apresentar caso de Síndrome Respiratória Aguda Grave, decorrente da Covid-19. Quase 10 dias depois, ele foi transferido para o Hospital Sírio Libanês.
   O governador da Bahia, Rui Costa, lamentou a morte do médico e cientista e decretou luto no estado, na terça-feira (18). Rui chamou atenção para o trabalho do médico, que se destacou nacional e internacionalmente na pesquisa da área de reprodução humana. 
   “O Brasil perdeu hoje um dos seus grandes cientistas. Uma das principais referências em reprodução humana do país, Dr. Elsimar Coutinho foi antes de tudo um homem inquieto, dedicado ao seu trabalho como médico e pesquisador, levando o nome da Bahia para todo o mundo. Para os pacientes, é a perda de um profissional brilhante e, para família e amigos, a dor da partida de um ente querido. Que Deus os conforte nesse momento tão triste para todos nós. Siga em paz, Dr. Elsimar!”.
   Em nota, a Universidade Federal da Bahia (Ufba), onde Dr. Elsimar Coutinho se formou em farmácia e medicina, lamentou a morte do cientista. A instituição destacou que "foi como professor e pesquisador da Faculdade de Medicina da Bahia (FMB), que Dr. Elsimar Coutinho iniciou os seus estudos sobre a progesterona e sua ação na prevenção do trabalho de parto prematuro e descreveu o efeito anticoncepcional da substância".

Situação de saúde - Quando Dr. Elsimar ainda estava internado em Salvador, o Hospital Aliança informou que, no dia 21 de julho, o médico estava em ventilação artificial e sedado. No dia 22, divulgou que ele estava com problemas renais e pulmonares. Já no dia 23 de julho, a unidade médica informou que ele foi submetido a hemodiálise após quadro de disfunção circulatória.
No dia 29 de julho ele foi transferido para o hospital em São Paulo. No dia 6 de agosto, o médico passou por um procedimento de traqueostomia.  Por meio de nota, a assessoria do médico informou que o procedimento foi feito para que ele tivesse mais conforto no tratamento. (G1)