Centro Médico de Ribeirão Preto

Dr. Lucas Pires Augusto: "Peguei esta doença fazendo o que amo, cuidando dos meus pacientes com amor e dedicação. Faria tudo outra vez"


    O falecimento do Dr. Lucas Pires Augusto, ocorrido no último dia 8 de agosto, em decorrência da Covid-19, aos 32 anos, causou muito pesar no meio médico. Dr. Lucas, neurocirurgião, que  fez especialização no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto e participou da cirurgia de separação das gêmeas siamesas Maria Ysabelle e Maria Ysadora, em 2018,  trabalhava em um hospital de Ivaiporã, no Paraná. 
    A frase do título, "Peguei esta doença fazendo o que amo,cuidando dos meus pacientes com amor e dedicação. Faria tudo outra vez"", escrita pelo médico, em última mensagem publicada em redes sociais, antes de ir para a UTI,  retrata bem a dedicação dos médicos e dos profissionais da saúde, que em todo o Brasil lutam, dão o melhor de si para salvar vidas, mas que também  estão vulneráveis às complicações da doença.

Mensagens - Dr. Lucas Pires Augusto: "Estou indo nesse momento para a UTI devido a um agravamento do quadro de Covid-19. Ficarei incomunicável, mas desde já agradeço aos amigos pelas orações. Peguei essa doença fazendo o que amo, cuidando dos meus pacientes com amor e dedicação. Faria tudo outra vez. Sei que meu Deus é soberano sobre todas as coisas, seus caminhos e propósitos são sempre justos e perfeitos e que no fim, todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Rm 8:28. Amém"...
    Em uma rede social, uma colega de turma, a médica Dra. Valéria Cristina Scavasine, postou uma mensagem emocionada à família do médico:
   “Queridos Benjamin e Isabela, o pai de vocês foi para outra dimensão hoje, ficar mais pertinho de Deus. Ele deixa o plano terreno como um herói. Nunca se esqueçam disso: por amor à profissão, ele perdeu a própria vida cuidando de outras vidas.
    Hoje, nesse dia 8 de agosto de 2020, vocês ganham 88 padrinhos e madrinhas. Nossa turma da faculdade sempre foi polêmica, briguenta, mas, nesse momento de dor, uniu-se por uma causa.... a causa de manter viva a memória do nosso mais brilhante colega. O coração dele continua batendo em vocês dois. Como forma de honrá-lo, a família dele também se torna a nossa família... e família quer dizer nunca abandonar ou esquecer. Contem conosco SEMPRE, mesmo que seja para relembrar as histórias que o Lucas, com seu humor sagaz e sotaque mineiro, contou tantas vezes para alegrar nossos dias", ressaltou a médica.
    A COVID-19 também vitimou outro membro da equipe que participou da separação das gêmeas, o  médico estadunidense Dr. James Tait Goodrich, que faleceu em março, em Nova Iorque, aos 73 anos. 
    Outras grandes perdas da Medicina em Ribeirão Preto, foram o renomado cardiologista Profº Dr. João José Carneiro, que  faleceu no último dia 17 de julho, na cidade, aos 78 anos e o  oftalmologista Dr. Daniel Felipe Alves Cecchetti, aos 42 anos, em 25 de julho.