Centro Médico de Ribeirão Preto

EDITORIAL


  O Centro Médico está apoiando as iniciativas de vacinação para INFLUENZA  e estamos colocando a sede à disposição da Secretaria Municipal de Saúde. Gostaríamos  de manifestar nossa preocupação com a situação do médico e dos trabalhadores de saúde frente ao atendimento de urgência nessa Pandemia. 
No sábado, dia 21 de março de 2020, o Ministério  da Saúde da Itália registrava 793 mortes. A Lombardia estava com  3095 vitimas, números que continuam a subir. Trabalhadores da saúde foram os  mais afetados.
  No Brasil, e mais particularmente aqui, há a  necessidade de implementar a aquisição das EPIs (máscaras, luvas e outras)  em número adequado para a proteção dos médicos e trabalhadores da saúde. Mais do que isso, seria necessário haver maior esclarecimento sobre o número de leitos efetivamente disponibilizados para a assistência e quantos respiradores vão estar  disponíveis. 
  Ainda há comentários dispersos sobre qual a unidade de saúde ambulatorial que vai centralizar o recebimento de casos na urgência. A imprensa noticiou a UBDS Vila Virginia, mas alguns médicos da unidade colocaram ter recebido a notícia pela imprensa  e se mostraram apreensivos com a preparação  técnica da unidade.
  Um grupo voluntário procura materiais para a confecção de aventais descartáveis, mas não ficou claro até que ponto a  aquisição será custeado  pela iniciativa voluntária de cidadãos e pelo setor oficial, esperamos que isso se resolva bem. Ajudaremos e apoiaremos no que for possível, mas é preciso que o trânsito da informação seja claro para que as iniciativas caminhem bem. Assim, estaremos juntos, mas é preciso que fique claro o que falta, e  o que efetivamente estará sendo providenciado.
  Preocupa-nos muito ainda os médicos e trabalhadores de saúde acima de 60 anos  em exercício de atividades plenas nesse momento. O que mais pode ser feito para que sejam melhor protegidos ou para que possam ser afastados.
  Os convênios que recentemente, por motivos puramente comerciais,  ameaçaram exclusão de médicos em fase tão delicada como essa, devem avaliar os efeitos danosos disso. O Centro Médico está a disposição dos profissionais no que for necessário.
  O Centro Médico e seus diretores acreditam ser uma das mais sérias crises de saúde que o mundo enfrentou nas últimas décadas. Estaremos juntos e esperamos contar com todos, sem exceção, quando tudo isso passar.

  Sobre a polarização recente, entre as preocupações do presidente da República com a economia  e os governadores, esperamos que a conduta de maior bom senso possa ser encontrada, o que não se fará sem diálogo. De um lado há o temor da fragilização econômica e do outro a fragilidade do setor de saúde, com uma pandemia avassaladora, levando a mobilização em todo o mundo. A Índia decretou a paralisação de um bilhão e meio de pessoas. Há dois lados de uma moeda. A parte os discursos apaixonados de cada um, naturalmente  os profissionais de saúde são os que estão em situação mais delicada e esperamos equilíbrio e ponderação nas decisões sobre o presente e o futuro, sem influencia das questões eleitorais.  

  Nossos corações   estão com vocês a quem enviamos nosso abraço, nossos pensamentos mais positivos  e para os  que acreditam no Altíssimo,  nossas preces.

Atenciosamente, Dr. Oswaldo Cruz Franco“Presidente do Centro Médico de Ribeirão Preto