Encontro de Líderes da APM debateu associativismo, trabalho e formação médica


   A nova diretoria da Associação Paulista de Medicina promoveu debates com os presidentes das Regionais, delegados e integrantes do Conselho Fiscal de 24 a 26 de novembro, em São Pedro, para estabelecer um planejamento estratégico para o triênio 2017-2020. Associativismo, trabalho e formação médica foram os principais temas do Encontro de Líderes, que teve em sua plenária cerca de 100 representantes dos médicos paulistas, dentre eles, do Centro Médico  de Ribeirão Preto, Dr. Alexandre Firmo de Souza Cruz, 1º vice-presidente da entidade, Dra. Cleusa Cascaes Dias, 2a vice-presidente e diretora da 6a Distrital da APM - Ribeirão Preto e Dr.João Carlos Sanches Anéas, diretor administrativo adjunto da APM.
   As boas vindas aos participantes foram dadas na noite da sexta (24) pelo 1º vice-presidente da APM, Donaldo Cerci da Cunha, e pelo diretor Administrativo e ex-presidente, Florisval Meinão. Além de agradecer a participação maciça, eles reforçaram a importância da APM se organizar periodicamente para enfrentar os problemas e desafios dos campos da Saúde e defender a valorização médica.
   “Nos anos recentes, tivemos relevante aproximação com as Regionais, o que amplia a força da Associação Paulista de Medicina, que está especialmente em sua capilaridade. Esse trabalho será mantido pelo José Luiz [Gomes do Amaral, novo presidente da entidade], por isso fazemos questão de ouvir nossos representantes de todo o estado”, pontuou Meinão.
   Oficialmente, os trabalhos foram abertos na manhã seguinte (25), com a palavra de José Luiz Gomes do Amaral, novo presidente da APM. Ele instou a todos a interagirem ao máximo nas discussões, para a APM construir posicionamentos consistentes, alicerçados na pluralidade e pensamento coletivo.
   “É um prazer contar com destacadas lideranças médicas do estado de São Paulo nesta reunião que marca o início de novos rumos para a Associação Paulista de Medicina. Em São Paulo, consolidamos frentes de trabalho robustas, o associativismo médico tem se fortalecido dia a dia. No âmbito nacional, infelizmente, nós médicos nunca fomos tão desvalorizados como nos últimos anos. Somos progressivamente afastados dos nossos pacientes, e esse processo precisa ser interrompido. Unidos, com persistência, estou convicto de que nossas perspectivas serão melhores”, afirmou Amaral.
   O Encontro de Líderes contou com apresentações técnicas sobre as áreas financeira, de Marketing e de Comunicação da APM, além de um resumo das ações de Defesa Profissional nos últimos anos.
  “Foram inúmeras atividades no período, desde as negociações com as operadoras de planos de saúde até a inclusão dos médicos no Simples Nacional e a criação da Frente Parlamentar da Medicina, entre tantas outras”, resumiram os diretores Marun David Cury e João Sobreira de Moura Neto.
  Merece destaque particular o aprofundado debate, por parte das lideranças, dos quesitos associativismo, formação e trabalho médico, sob orientação de Gilberto Scarazatti, consultor de Planejamento Estratégico. Centenas de propostas foram apresentadas e defendidas pelos presidentes das Regionais, diretores, delegados e conselheiros fiscais da APM.
  Compiladas, para facilitar o debate, as proposituras agora serão encaminhadas para grupos de trabalho e, posteriormente, para serem referendadas pelos associados. Servirão para subsidiar as iniciativas estratégicas da Associação Paulista de Medicina e, ainda, para estruturar um posicionamento maduro sobre os mais importantes pontos da Saúde e da Medicina, uniformizando assim a atuação e o discurso da APM em todo o estado.